Ventilação

Morgado Blog

Ventilação

O Verão está a chegar e com ele o calor abrasador e o tempo seco. A melhor forma de encontrar conforto, no trabalho ou em casa, será ficar num local com ar condicionado. Mas esse conforto não depende apenas da temperatura, também decorre do nível de humidade.

Dependendo da idade, da saúde e da atividade no momento, temperaturas entre os 20 e os 22ºC e um nível de humidade entre os 40-60% permitem-nos a maior sensação de conforto.

A humidade relativa do ar indica a percentagem da quantidade máxima de vapor de água que o ar pode reter nesse momento. Por exemplo, se o ar retém apenas metade da sua capacidade máxima, então a humidade relativa do ar é de 50%. A quantidade máxima de vapor de água que o ar pode reter depende da temperatura e da pressão atmosférica do mesmo. Desta forma, considerando a pressão atmosférica do ar constante, quanto mais quente o ar estiver, mais água este será capaz de reter. Se a Humidade Relativa do ar for de 100% significa que o ar está completamente saturado, não conseguindo reter mais água.

Chegamos então ao enquadramento dos níveis de humidade relativa do ar:

Abaixo de 40% HR: o ar está seco em excesso.

De 40% a 60% HR: o ar está confortável e saudável.

Acima de 60% HR: o ar está húmido em excesso.

Por excesso ou por defeito, o nível de humidade relativa pode ter consequências nefastas para a saúde. Se o primeiro caso potencia o aparecimento de bolor, que está na origem de problemas respiratórios, tosse, asma e/ou doenças do foro alérgico; no segundo provoca incómodo nos olhos, nariz, lábios e no sistema respiratório, ressecando as mucosas, tornando-as mais sensíveis às irritações.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a humidade está estreitamente relacionada com a falta de saúde no contexto respiratório. Há até uma definição criada pela própria OMS para categorizar os ambiente e estruturas não salutares – “Síndrome do Edifício Doente” (SED). Esta definição teve origem na década de 80 e discrimina como principais causas da má qualidade do ar no interior de determinados edifícios a falta de ventilação e níveis de temperatura e humidade incorretos.

A questão é, portanto, como assegurar a renovação do ar e o nível correto de humidade, mesmo no pico do calor, sem ter de abrir as janelas, de forma a não perder o conforto térmico e evitando um consumo energético excessivo.

Rhinocomfort da Aspira é a resposta!

Rhinocomfort é uma solução inovadora que não só garante a renovação do ar como – uma característica ÚNICA no mercado no seu tipo – também higieniza o ar interior, garantindo uma atmosfera limpa na sua habitação, escritório ou em qualquer outra área onde pretenda um microclima saudável.

O Sistema é baseado num processo chamado “fotocatálise”: a ação combinada de uma luz LED que ilumina a conduta através da qual o ar circula, bem como o vapor de água nela contido, desagrega ao nível molecular as substâncias orgânicas e inorgânicas no ar e torna-as em substâncias inócuas.

O Processo é eficaz em bactérias e impurezas – também previne a humidade e o aparecimento de bolor nas paredes. Graças ao seu tubo telescópico, pode ser instalado em paredes de qualquer espessura.

Ar fresco e desumidificado

Assim, no Verão, graças ao fluxo alternado e ao permutador de calor cerâmico, Rhinocomfort elimina o excesso de humidade e recupera o ar frio do ar condicionado que sai da divisão e transfere-o para o ar de entrada com um benefício garantido em termos de eficiência energética.

O seu motor DC de baixo consumo e sem escovas, com funcionamento por inversão de ciclo, permite a constante permuta de ar entre o interior e o exterior.

Em suma: com Rhinocomfort poderá usufruir de um ar fresco, limpo e saudável mesmo no calor do Verão.

 

Fiquem Bem!

Eduardo Maximino

 

Voltar à lista