Protocolo KNX

Morgado Blog

Protocolo KNX

O KNX é um protocolo de comunicação ou linguagem que alguns equipamentos utilizam para comunicar entre si, permite a gestão técnica e automação de habitações e edifícios.

Esta norma é bastante usada na Europa, sendo suportada pela maioria dos fabricantes de material elétrico.

Afim de podermos esclarecer melhor a opinião pública sobre este protocolo, foi com muito prazer que convidamos o Sr. Eng. Nuno Vasconcelos, que prontamente se disponibilizou em colaborar connosco concedendo-nos uma entrevista sobre domótica e protocolo KNX.

 Para dar início á nossa entrevista gostaríamos de pedir ao Sr. Eng. Nuno Vasconcelos o favor de se apresentar, falar um pouco sobre as suas formações, bem como as suas experiências no mercado de automação e domótica.

Sou mestre em Engenharia Eletrotécnica e tutor KNX. Estou, neste momento, a finalizar um outro mestrado em Engenharia de Segurança e Higiene Ocupacionais.

Trabalho com domótica e automação industrial desde 2002.  Comecei a minha vida laboral na manutenção e automação industrial, tendo ao longo do tempo especializado na domótica e gestão técnica. Realizei trabalhos em diferentes países europeus e no Canadá, o que me permitiu conhecer as diferentes abordagens técnicas utilizadas no estrangeiro.

A nossa empresa dá formações em riscos elétricos, KNX e DALI, desde 2017. Estas formações são realizadas à medida dos nossos clientes e no caso do KNX temos a formação habilitante para KNX partner.

 Por favor faça uma breve apresentação da empresa Modusnefer, qual o mercado em que atua e quais os tipos de soluções com que trabalha?

A Modusnefer surge em 2006 para preencher uma lacuna no mercado açoriano no campo das instalações elétricas especiais, domótica, gestão técnica e interligações de diferentes sistemas presentes nos edifícios.

Durante a crise económica, o foco da empresa passa para a Europa Central, principalmente na domótica. Com o retomar da economia, o mercado nacional passa a ser o principal, estando agora definidas como prioridades os projetos e execução de instalações de domótica e Gestão Técnica Centralizada, bem como a realização de ações de formação que permitem habilitar técnicos para a execução dos trabalhos anteriores.

Nos nossos projetos utilizamos principalmente os protocolos KNX, DALI, Modbus e por vezes BACnet e MBus. Optamos por estes sistemas porque são protocolos abertos e com um elevado número de fabricantes envolvidos, garantindo assim a qualidade e a qualidade de serviço nos nossos projetos.

 Como considera que está atualmente o mercado da domótica em Portugal?

O mercado da domótica está em crescimento. No entanto a falta de divulgação das potencialidades do produto aos clientes finais, aliado à falta de mão de obra especializada, e os maus serviços prestados por alguns “curiosos” tornam mais difícil o crescimento ao ritmo dos restantes países da União Europeia.

 Hoje o KNX é o principal protocolo de comunicação utilizado em automações prediais em Portugal, a que se deve essa preferência do mercado Português?

Na minha opinião, a presença dos fabricantes junto das principais empresas de domótica permite uma melhor abordagem ao cliente final.

O ponto anterior serviria para todos os protocolos, mas no caso do KNX a evolução dos produtos é muito rápida, levando até que alguns protocolos concorrentes tenham optado por se aliar ao KNX, como o caso mais recente do Control4.

Também a possibilidade de utilizar produtos de outros fabricantes, para complementar lacunas na marca principal do projeto, permite uma posição de destaque face à concorrência.

 Por outro lado, no mercado industrial mesmo em automação estrutural existe uma preferência por protocolos industriais, como Ethernet, Modbus. Acredita que o protocolo KNX possa vir a ser mais utilizado no futuro, mesmo no mercado Industrial?

O KNX não é um protocolo para trabalhar com as máquinas, embora o possa fazer, mas sim na gestão dos edifícios. O KNX permite abranger edifícios com grandes dimensões, conseguindo vencer as grandes distâncias através do KNX/IP. Como estão disponíveis gateways para um grande número de protocolos, parece-me ser a solução mais adequada, mas temos que considerar o legado que consiste na separação dos engenheiros de automação dos restantes. Há que apostar na divulgação e formação de todos os que impactam no sistema.

 No mercado da domótica, que soluções a utilizar o protocolo KNX, podem auxiliar as pessoas a terem uma redução no consumo de energia?

Neste momento o principal foco dos nossos projetos são a eficiência energética, só depois temos o conforto e a segurança. Temos utilizado o KNX como ponte para as certificações ISO50001 e a LEED.

Se nos grandes edifícios o retorno é muito rápido, nas pequenas instalações pode demorar mais tempo.

Grande parte das moradias não têm sistemas de climatização. Quando os instalam o consumo aumenta e nesta fase o KNX pode fazer diferença. Também nos sistemas de iluminação é possível reduzir os consumos, embora no caso da iluminação led a redução em valor absoluto, kW, seja mais reduzida. A possibilidade de controlar eletrodomésticos e postos de carregamento para veículos elétricos permite uma melhor gestão nos edifícios como um todo, potenciando a redução da fatura energética.

 Nos últimos anos tem-se verificado um grande crescimento no mercado da construção civil. Acredita que este fator teve impacto positivo no mercado da domótica?

A construção civil está diretamente relacionada com a domótica, se a construção civil crescer o mercado potencial da domótica também cresce. Cabe aos intervenientes aproveitar esta oportunidade.

 Ainda relacionado com a questão anterior, acredita que no futuro esta procura por soluções de automação residencial continue a aumentar?

Acredito que sim. Há uma aposta europeia na eficiência energética que influencia diretamente o mercado nacional. As diretivas europeias, e respetivas transposições para os regulamentos portugueses, são cada vez mais exigentes, sendo já obrigatória a instalação de sistemas de gestão num número significativo de edifícios.

 Para finalizar gostaria de lhe pedir que partilhasse connosco um case study que teve recentemente e onde utilizou a solução protocolo KNX. Como foi o projeto e quais foram as vantagens para o seu cliente?

O mais recente, foi durante a crise do COVID, consiste na remodelação de um apartamento do segmento alto nos Açores.

Foi acrescentado o controlo das unidades interiores de climatização, em que uma das unidades tem já dez anos, através dos interruptores existentes.

Os candeeiros de pé adquiridos pelo cliente, estavam ligados a tomadas não controladas. Agora, através do KNX/RF é possível comandar através dos interruptores de parede.

Foram criadas diversas temporizações para iluminação e extração existentes. O seu comando é apenas do conhecimento dos proprietários do apartamento, não interferindo com a normal utilização dos espaços pelos visitantes.

Foi também instalado um servidor web que permite o controlo pelo telemóvel de toda a instalação.

Neste apartamento, o fator económico e conforto são privilegiados. O cliente pretendia ter um controlo mais simplificado dos espaços, reduzir a humidade e criar diferentes ambientes luminosos.

Obrigado!

Fiquem bem

Wagner Puerta

Voltar à lista